Efeito da posição do joelho nos torques do quadril e joelho durante o agachamento com barra

Comentário: Prof. Dr. Newton Nunes* e Prof. Dr. José Maria Santarem*

No agachamento os joelhos podem ultrapassar a linha da ponta dos pés?

ANDREW C. FRY, J. CHADWICK SMITH, AND BRIAN K. SCHILLING.
Effect of knee position on hip and knee torques during the barbell squat. Journal of Strength and Conditioning Research, 2003, 17(4), 629–633.
DOI: 10.1519 / 1533-4287 (2003) 017 <0629: eokpoh> 2.0.co; 2

O agachamento é um exercício físico de força em que o praticante abaixa os quadris a partir de uma posição em pé e depois levanta. Durante a descida de um agachamento, as articulações do quadril e do joelho flexionam enquanto a articulação do tornozelo dorsiflexiona; por outro lado, as articulações do quadril e do joelho se estendem e a articulação do tornozelo flexiona quando em pé.

Nesse estudo de Fry, A. C. et al. (2003) foi observado que quando o agachamento era realizado com a restrição para os joelhos, ou seja, não ultrapassarem a ponta dos pés, o torque registrado foi menor do que quando não havia restrição. Mostrando que se o cliente realizar o agachamento ultrapassando os joelhos além da ponta dos pés, o torque é um pouco maior na articulação dos joelhos.

Contudo, realizar o agachamento sem restrição, o torque para a região do quadril é muito menor comparado a realização do agachamento com restrição, elevando em 10 vezes o torque para a região do quadril.

Por isso, avalie seu cliente: se existe alguma alteração na região do quadril, muito cuidado em restringir o movimento, pois um torque muito alto incidirá nesta região.

Prof. Dr. Newton Nunes*
Prof. Dr. no Instituto do Coracao de SP desde 1994.
Prof. Dr. pelo Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da USP desde 1994. Mestrado e Doutorado pela USP.
Criador do site : www.areadetreino.com.br
Youtube: Área de Treino
Autor do Livro: Avaliação Cardiopulmonar e Treinamento Físico

 

Como no caso de outros grupos musculares, a conduta técnica mais clássica é escolher o número de repetições com o qual a pessoa se sinta mais confortável. O prazer no treinamento é importante para a aderência.

Metodologia, tabelas, gráficos e bibliografia encontram-se no artigo original.

Prof. Dr. José Maria Santarem*
Doutor em medicina pela Universidade de São Paulo, fisiatra e reumatologista pela Associação Médica Brasileira, consultor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte, diretor do Instituto Biodelta e coordenador do site acadêmico www.treinamentoresistido.com.br.